Novos investimentos em energia solar no território paranaense acabam de ganhar um forte aliado. É o Atlas de Energia Solar do Estado do Paraná, projeto que é resultado de uma parceria entre a Itaipu Binacional, Parque Tecnológico Itaipu (PTI), Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) e Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), lançado na manhã de segunda-feira (4/12), em Curitiba.

 O Atlas confirma o grande potencial solar do Paraná, 43% superior ao da Alemanha, um dos cinco países que mais investe nessa fonte renovável, no mundo. O potencial paranaense é, ainda, 18% superior ao da França e 55% maior que o do Reino Unido.

De acordo com o prof. Dr. Gerson Máximo Tiepolo, um dos coordenadores do Laboratório de Energia Solar (LABENS) da UTFPR – Campus Curitiba e coordenador do projeto do Atlas de Energia Solar do Estado do Paraná, o projeto tem como objetivo “ser uma ferramenta de consulta e análise do potencial de radiação solar e da geração de energia elétrica fotovoltaica no estado, de forma a promover e disseminar o uso desta fonte renovável em prol do desenvolvimento sustentável”.

Segundo Tiepolo “este Atlas foi elaborado com o que há de mais moderno em termos de metodologia para estimação dos dados de irradiação em superfície, fazendo uso do modelo de transferência radiativa BRASIL-SR do INPE”. Este modelo foi inicialmente desenvolvido na Alemanha e adaptado para as condições climáticas brasileiras, sendo continuamente aperfeiçoado pela equipe do Laboratório de Modelagem e Estudos de Recursos Renováveis de Energia do Centro de Ciência do Sistema Terrestre (LABREN/CCST/INPE), coordenado pelo prof. Dr. Enio Bueno Pereira, com apoio de pesquisadores de outras importantes instituições nacionais e internacionais

 De acordo com o diretor-geral brasileiro da Itaipu, Luiz Fernando Leone Vianna, durante a solenidade de lançamento do Atlas, realizada no edifício Parigot de Souza, sede da Itaipu em Curitiba, “A Itaipu tem como missão promover o desenvolvimento sustentável, o que inclui a pesquisa de novas tecnologias e o fomento a outras fontes renováveis que são complementares à hidráulica”.

“A geração de energia a partir de fontes renováveis, como a solar, é um caminho sem volta”, afirmou o secretário de Estado da Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara, que representou o governo estadual no evento. Ele informou que o Estado conta atualmente com um grupo de trabalho que está estudando incentivos para fomentar a geração distribuída no Paraná (incluindo, além da solar, a biomassa e a eólica) e que pretende lançar um marco regulatório para o setor no Show Rural Coopavel, em fevereiro de 2018.

 Além de Ortigara, a solenidade também contou com a participação do secretário de Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Paraná, Antônio Bonetti, do diretor-geral da UTFPR – Campus Curitiba prof. Dr. Cezar Augusto Romano que na ocasião também representou o reitor da UTFPR prof. Dr. Luiz Alberto Pilatti, do presidente da Fecomércio-PR, Darci Piana, do diretor-geral brasileiro da Itaipu Binacional, Luiz Fernando Leone Vianna, do coordenador do LABREN/INPE Prof. Dr. Enio Bueno Pereira, do diretor-superintendente da Fundação PTI, Ramiro Warhaftig, e do superintendente de Energias Renováveis da Itaipu, Paulo Afonso Schmidt, entre outras autoridades.

Além do Atlas foi apresentada durante o evento a Ferramenta Web Interativa que também faz parte do projeto do Atlas do Paraná.

Segundo Tiepolo, “a Ferramenta Interativa foi inteiramente desenvolvida pelo Centro Internacional de Hidroinformática (CIH) ligado ao PTI, com apoio e suporte da UTFPR e INPE. Através da Ferramenta Web Interativa, o cidadão paranaense pode encontrar os níveis de irradiação na superfície em qualquer local do estado, até mesmo na sua residência, de qualquer uma das componentes que são apresentadas pelo Atlas: irradiação global horizontal, direta normal, difusa e no plano inclinado na latitude”.

A Ferramenta Web Interativa pode ser acessada através do site: http://atlassolarparana.com/