A prefeitura de Manaus terá que realizar, com urgência, estudos para identificar e delimitar as áreas de ocorrência do sauim-de-coleira (Saguinus bicolor). A determinação atende a uma ação civil pública ingressada pelo Ministério Público Federal no Amazonas (MPF/AM) na Justiça Federal.  A pesquisa deverá contar com a participação do Grupo de Trabalho do Plano de Ação Nacional para a Conservação do sauim-de-coleira (PAN Sauim).

Na ação, o MPF requer que a prefeitura publique, no prazo de até 180 dias, um decreto com a completa descrição das áreas de preservação permanente a serem criadas, sob pena de multa diária de R$ 10 mil, a recair sobre o patrimônio pessoal do prefeito de Manaus.