Dados se referem ao setor de embalagens e fazem parte de relatório entregue ao ministro do Meio Ambiente pela Associação Cempre.

 

Relatório com os primeiros resultados obtidos pelo Acordo Setorial de Embalagens foi entregue no dia 1º/2, em Brasília, ao ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, pelos integrantes do Compromisso Empresarial para a Reciclagem (Cempre). De acordo com os dados, o Sistema de Logística Reversa de Embalagens registrou ações em 422 municípios de 25 Estados, alcançando 51,2% da população brasileira.

O ministro elogiou a iniciativa dos empresários, enfatizando que as metas do acordo foram cumpridas, mesmo diante da crise econômica enfrentada pelo país nos últimos anos. “Nós fizemos a nossa parte, primeiro lutando contra as pressões no Congresso Nacional até a aprovação da Política Nacional de Resíduos Sólidos, e agora apoiando a execução da lei no Ministério do Meio Ambiente”, disse.

Sarney Filho conclamou os empresários para que o setor envolvido com a logística reserva “se mantenha engajado” na expansão das diretrizes fixadas. “De fato, agindo dessa forma, poderemos avançar nas emissões evitadas, contribuindo para a economia necessária de baixa emissão de carbono”, afirmou Sarney Filho.

ACORDO COMPLEXO

O secretário de Recursos Hídricos e Qualidade Ambiental do MMA, Jair Tannús, reconheceu tratar-se de um acordo complexo que resultou num trabalho intenso de negociação e arranjos. “Isso ocorreu não só do lado das empresas, que tiveram que se unir para propor medidas que facilitassem a sua execução, mas também de parte do governo que teve que indicar medidas de cunhos nacional que pudessem transmitir a mesma mensagem a todo o país”, explicou.

A diretora do Departamento de Ambiente Urbano, Zilda Veloso, reforçou a importância da iniciativa do Cempre. “Não foi fácil construir o acordo entre o MMA e as empresas do setor para este inovador trabalho de logística reversa de embalagens. Com a entrega do relatório de monitoramento que nos traz os números do setor, o importante, agora, é divulgar amplamente os resultados obtidos”, reconheceu.

O presidente do Cempre, Vitor Bicca, ressaltou que o acordo assinado pelas empresas “é inédito e motivo de orgulho para todos os envolvidos”.

Para ele, o Acordo Setorial de Embalagens representa um grande avanço na lei que instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS). “Dando continuidade às ações que incentivam a responsabilidade compartilhada entre governo, empresas e população, estamos no caminho certo para alcançar as metas do acordo e promover a destinação adequada das embalagens pós-consumo no Brasil”, reforçou Bicca.

RELATÓRIO

Assinado no final de 2015, o acordo promove a reciclagem de embalagens em geral desenvolvendo um plano de gestão de resíduos dentro do contexto da logística reversa, que tem a meta de reduzir em 22% a quantidade de embalagens pós-consumo destinadas a aterros até o fim de 2017. Segundo dados preliminares, o Sistema de Logística Reversa de Embalagens, implantado pela Coalizão, registrou ações em 422 municípios de 25 estados brasileiros, alcançando 51,2% da população brasileira.

“A Coalizão Embalagens é formada por 28 associações do setor empresarial do País que estão engajadas na implementação da PNRS. Apresentamos hoje, juntamente com associações signatárias, as realizações que estão sendo desencadeadas para alcançarmos a meta da primeira fase desse acordo”, explicou Vitor Bicca.

De acordo com o relatório, 702 cooperativas foram apoiadas e 3.151 ações de estruturação para adequar e ampliar a capacidade produtiva das cooperativas foram realizadas entre 2012 e 2016. No período, também foram instalados 2.103 pontos de distribuição voluntária (PEV) e desenvolvidas 7.861 ações para estruturação, implementação, operação e manutenção dos pontos.